segunda-feira, outubro 31, 2011

Memórias Efêmeras

Sinto os dias passando, como se escorressem por entre meus dedos. O Tempo, Senhor cruel, me faz viver cada dia como se existisse apenas um instante, e o que resta após a meia-noite são algumas memórias fugazes; inicia-se mais uma Madrugada em Claro... Mal começa e já termina. Viver numa madrugada eterna, na qual não existam horas, apenas recordações instantâneas, meu sonho impossível. Parada no Tempo, olhos fechados, envolvida pela Liberdade... Sem conseqüências, sem amanhã, apenas... 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba as postagens por e-mail