domingo, agosto 26, 2012

Escolhas

 Existiam vários caminhos. Serpenteando perigosamente entre eles, terminei só. A culpa? Sinceramente, seu ombro é insólito demais para repousar minha mente. E no fim, pergunto-lhe: Onde se iniciou o desvio fatal? Sempre arrisquei demais; fizera sentido no início. Buscava sempre uma proximidade cada vez maior, ao alcance de minhas mãos... Tateando no escuro, ninguém ao meu redor: fui longe demais. Acabei perdida.


Receba as postagens por e-mail