segunda-feira, janeiro 30, 2012

Bilhete para uma Rosa



Todas as vezes que vejo um tímido botão de rosa, sinto urgência em alertá-la para seu fim... Diria talvez:


"Querida rosa, por favor, não desabroches para o mundo. Mantenha-se distante, bela, os Homens a admirarão da mesma forma. E talvez a especulação acerca de suas pétalas a torne ainda mais especial. Alguns poderão querer cativar-te, se desabrochar; não permita que isso ocorra. Todos te machucarão e depois te abandonarão, à mercê do tempo. E então, com certeza, amaldiçoarás o dia em que vistes a luz do sol. O Sol aquece, mas a chuva sempre vem, gélida, como se fossem milhares de lágrimas, misturando-se às tuas. E o mais triste, rosa ingênua, é que as lágrimas frias que caem sob a tua cabeça são necessárias para que possas viver. Escolhe, pois, ser intocada e inviolada.

Att.,

Uma rosa despedaçada."


quarta-feira, janeiro 25, 2012

Enlace

Eu estava à procura do texto perfeito, para curar o coração de alguém que amo... Então me dei conta de que palavras soltas não possuem poder cicatrizante; apenas sentimentos sinceros o detêm. E foi nesse instante que me desarmei. Despi tudo o que era desnecessário,  fiquei livre e pura para oferecer minha mão. Deixei minhas fúteis angústias e fui cuidar de Nossas tristezas. 
Fomos, a partir desse momento, apenas um, dividindo as gotas mais sinceras que já existiram. Mas me senti impotente, de certa forma. Era tão ínfimo...! Tão distante...
Parei de pensar e me deixei sentir, para ver sua alma. E percebi que, a cada lágrima que eu vertia, era  uma a menos derramada por meu querido. Isso bastou-me; fechei meus olhos, sentei-me ao seu lado, toquei-lhe os lábios com minhas pétalas e observamos 43 pores-do-sol.



quinta-feira, janeiro 12, 2012

Melancolia

Como eu poderia dizer tudo? É intenso, é incompreensível, é autodestrutivo. Domina-me. 
Eu tinha um Sonho, uma ilusão do entardecer; alentava-me. Mas já não entardece, é outro dia. Naqueles breves momentos, o sonho fora verbalizado. Infelizmente, ignorado e superado pela mórbida realidade. Sonhos são como sentimentos: se  verbalizados à luz da objetividade, tornam-se tolos, inúteis. Realidade, quando refletida, é deplorável; quando sentida, extremamente melancólica. Essa dualidade cega me destrói aos poucos. 
Volte para casa, meu bem, nosso Sonho está nos esperando. Antes que seja tarde, antes que anoiteça para nós.


quinta-feira, janeiro 05, 2012

Bilhete

Fiquei só novamente. Inspiradas por um lindo bilhete de suicídio, as vozes não se calaram. Estão comigo, sempre que meu lado mórbido se torna consciente. Apenas uma pessoa consegue trancá-lo à sete chaves, e esse alguém acabou de voltar. Adeus, psicopatia, em breve nos encontraremos novamente.



P.S.: Eu não estava completamente só, Ela estava me observando.


Receba as postagens por e-mail