sábado, novembro 19, 2011

Sorriso

Dos inúmeros, o mais tolo, o mais infantil, o mais sincero. Envergonhado, tão vulnerável, tão cativante! Aquele involuntário, acompanhado de um rubor de faces e do baixar de olhos mais lindo já visto... Movimentos que dispensam quaisquer Três Palavras. 



quinta-feira, novembro 17, 2011

Novembro

Chove... As gotas no telhado sussurram em meu ouvido; conversam entre si pela linguagem inintelegível do Frio. Me aninho em seus braços, estou protegida. Gota por gota, doce cantiga de ninar... E então sou invadida por um suave perfume. Penetra meus sentidos, desarma minha consciência; a partir desse instante, os desejos que tanto fascinaram Freud me dominam: estou em Casa. 



terça-feira, novembro 08, 2011

Fuga

E eis que ela abandonou todas as coisas antigas, fugiu em busca do Novo... Sonhava com sua Liberdade todas as noites, quando fechava os olhos... Sentia-se livre em si mesma; mas ao encarar a realidade decepcionava-se. Ansiava por Ser, não só interiormente, queria ser dona de suas decisões, de seu “destino”... Dona de seus amores, suas dores, de sua Vida. Queria ser diferente, no entanto não percebia que já o era. Atraída pelo impossível, fugiu, acompanhada pela escura noite de Lua Nova, sem rumo, sem lembranças, sem olhar para trás.



sábado, novembro 05, 2011

Percepção

Há tanto a ser descoberto, tanta vitalidade ao nosso redor... Beleza na simplicidade? A beleza está em um olhar diferente, sensível, inesperado. O que deve ser cultivado é o nosso desejo do Novo, sempre causando um colorido, aquecendo nossas almas, aguçando nossa ânsia de Viver. 



Receba as postagens por e-mail